Boletim Março 2020

O que o Coronavírus pode nos ensinar sobre resiliência?



Por Fernanda Lee

(6 minutos e 40 segundos de leitura)


Os acontecimentos globais das últimas semanas sobre a propagação do coronavírus têm elevado o estresse das pessoas. Em alguns lugares têm causado pânico em comunidades, corridas ao supermercado, escassez de álcool gel e máscaras cirúrgicas em farmácias, e até causado mudanças nos planos de viagens. Todas as precauções são necessárias, e um descuido pode acarretar em propagar o caos. Muito se fala em saúde física, mas como fica a saúde mental? Será que o medo está te consumindo? Qual será o impacto das suas atitudes nos seus filhos ou colegas de trabalho? Como você e sua família estão emocionalmente diante tanta informação?


Nossa comunidade é um imenso laboratório natural e muitas vezes não olhamos o impacto que nossas ações têm nas outras pessoas.

Da mesma maneira quando alguém está infectado com qualquer vírus e pode contagiar as pessoas ao seu redor, a resiliência também pode ser contagiante.

Um estudo sobre estresse-resiliência conduzido com os astronautas americanos, relatou que resiliência é quando nos deparamos com momentos desafiantes e fatores estressores, e damos a voltar por cima e nos recuperamos. E ao fazer isso, enriquecemos nossa vida. Ser uma pessoa com resiliência significa:


  • Enfrentar os fatores estressores (e não ignorar a presença deles);
  • Aprender com seus erros (e não evitar cometê-los); e
  • Reparar uma falha (e não ser definida por ela).


Algumas pessoas gerenciam estresse melhor do que outras.


Uma estratégia que não é efetiva para promover resiliência é suprimir os pensamentos de medo.


Qual é o maior medo que você tem perante o coronavírus? Identificar o medo é um passo importante, porque isso certamente afeta a sua saúde emocional e com isso afeta os seus relacionamentos. A incerteza gerada pela antecipação da doença (ou de algum familiar ficar doente) pode gerar muito estresse, e se o estresse não for bem gerenciado pode prejudicar a sua saúde mental e a saúde das pessoas com quem você se importa e convive. Lembre-se de que resiliência é contagiante! E o que você faz para gerenciar o seu estresse contagia as pessoas à sua volta. 


Nesse momento, eu estou arrumando a mala para fazer uma viagem internacional para ajudar na realização da 1ª. Conferência em Disciplina Positiva. Vou ministrar quatro certificações e ainda sou responsável por trazer uma colega americana que irá pela primeira vez ao Brasil. Todas essas oportunidades geram estresse em mim. Posso desistir de tudo e ficar em casa, ou posso me preparar e usar essas oportunidades para exercitar a resiliência e falar sobre isso com a minha família.

Então, seguem aqui algumas estratégias para ajudar a desenvolver a resiliência nesse momento de estresse e incertezas.


  • Estabeleça pequenos passos para mudar de forma gradual – reveja seus hábitos de higiene. Lave as mãos antes de comer. Carregue álcool gel na bolsa e no carro. Evite tocar seu rosto.


  • Exercite a compaixão, por si mesmo e com os outros. Pare de se criticar ou criticar os outros. Nomeie o problema e foque em solução. Se você vê seu filho colocando a mão na boca, diga como se fosse a primeira vez “Primeiro lave as mãos” e aja com a boca fechada.


  • Faça reuniões de família ou de equipe para acordarem, em conjunto, sobre novas normas de saúde em casa ou no escritório. Que novos acordos podem estabelecer na copa do escritório? E quando alguém estiver gripado, qual será o procedimento? Irão usar máscaras para vir trabalhar? Acordos com antecedência podem ajudar a focar no problema em de vez da pessoa, e isso aumenta a colaboração.


  • Registre os momentos positivos diariamente: quando os astronautas estão no espaço há uma coisa que eles fazem que ajuda a gerenciar o estresse: tirar fotos da Terra. O simples fato de tirar foto não reduz o estresse. O que realmente faz a diferença é o ato de engajar em algo significativo para você e que te traz alegria naquele momento. Em vez de focar na linha de chegada na corrida contra o vírus, foque em algo momentâneo e que te traz prazer. Tire fotos de bons momentos ou escreva num caderno pelo que você tem gratidão. Quando você modela isso, as pessoas à sua volta, seja em casa ou no escritório ficarão “contagiados” com isso e provavelmente vão querer fazer também. E isso promove bem estar para todos.


  • Reaprenda e recrie uma nova rotina para promover saúde - Crie uma nova rotina junto com a sua família que inclui novos hábitos de higiene. O que é uma pequena coisa que vocês podem começar a fazer? Por exemplo, lavar as mãos assim que chegam em casa, lavar as mãos no lavabo em vez da pia da cozinha. Quando todos são envolvidos numa conversa prévia, o dia parece fluir bem melhor e sobra muito mais espaço para curtir uns aos outros do que ficar procurando por culpados.

Quando você muda o seu pensamento, você muda o seu comportamento.

Muitas dessas coisas você já sabe, agora só tem que colocar em prática.

Conhecimento é poder.


A pior coisa que você pode fazer é pensar: “Eu já tenho tanta coisa para me preocupar e agora eu tenho que me preocupar com esse vírus”. Aproveite esse estresse como uma oportunidade para se conectar com quem você se importa e desenvolver resiliência.



Kit de estudo para download grátis

Baixe o Kit Gratuitamente no botão ao lado:

Filosofia Positiva | 2020